sábado, 10 de outubro de 2015






je rêve encore du jour où nous allons faire ceci et beaucoup plus de voyages ensemble .

je pense toujours que tout sera un jour parfait ici ...

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015






la bague parfaite





Acreditar que tudo não passou de uma brincadeira de duas crianças que eventualmente se cruzaram e apaixonaram. Hoje não passamos de dois adultos, quase desconhecidos, com tanto que gostaria(mos) de dizer um ao outro. Eu pelo menos.

Já nada é como antes. Mas acredito que foi real.

quinta-feira, 23 de outubro de 2014




Cheguei ao ponto de não saber o que dizer, o que fazer.

Não sei expressar o que sinto, não sei explicar a natureza destas coisas e destas lágrimas que me invadem os olhos sem permissão.

A sensação de não te ter aqui a troco de outras sensações que me doem na alma, deixam-me sem sentido. Sem nexo. Sem rumo.

Odeio sentir-me assim.

segunda-feira, 29 de setembro de 2014



Amor...amor é querer-te aqui.

Amor é procurar-te de manhã quando abro os olhos.

Amor é seres tu.

Amor é sentir-te.

Amor é apaixonar-me por ti todos os dias.

Amor é...

quarta-feira, 10 de setembro de 2014




planos para 2015?

viajar com ele, aquele que me levou a concluir que até hoje, nunca soube o que era paixão.

ele tem o melhor de mim, como o adoro...adoro mesmo.

tenho a chuva a cair pela janela e só penso no quanto gosto dele.

nunca me senti assim...nunca.

estranho.

visitar Paris com ele, é o objectivo para 2015.

porque no fundo, acho que é ele...é ele.

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

terça-feira, 29 de julho de 2014




Olho para o calendário e começo a contar os dias para o teu regresso. Estranho é sentir isto. Estranho é pensar que à uns tempos atrás tudo isto era insignificante e sem importância.

Existias mas não existias percebes. Estavas lá, eras a memória acesa de algo que ficou por completar, mas não passava disso, de algo que apesar de incompleto, na minha cabeça não voltaria a acontecer. Por mais que eu quisesse.

Aconteceu. Merde!

Aconteceu que hoje, olho para o relógio e conto horas para os dias passarem, passo o dia a ouvir bandas de caca só porque as músicas me lembram de ti e revejo ainda momentos que passámos juntos na minha cabeça.

Esse teu sorriso consegue por-me de joelhos, desarma-me completamente. E eu adoro!

Fico presa às memórias das conversas enquanto espero por ti, pelo teu regresso. São poucos dias eu sei, e até sei que parte deste quase desespero não passa de algum egoísmo da minha parte. Egoísmo este que pode ser confundido com saudade.

Mas a saudade existe...existe mesmo.

E depois o sono não vem ou acordo as 4 da manhã com a sensação que estás ali...e tudo isto é um turbilhão de emoções parvas e que eu nem devia expressar.

Não devia sentir isto...não me devia ter deixado ir...mas deixei, deixei mesmo.

Se soubesses metade das coisas que vou ponderando na minha cabeça, as listas, as longas listas de coisas para levar, de coisas para guardar...

E aqueles pormenores da tua pessoa? Aquelas coisinhas que já vou conhecendo e que gosto, sei lá...a tua cicatriz perto da sobrancelha esquerda, a forma como te ris e me abraças a seguir....

São tantas as coisas que gosto em ti...tantas mesmo.


I'm not, i'm not you
You're the part of me, you're the part of me